Como uma solução saturada se torna supersaturada?

Como uma solu√ß√£o saturada se torna supersaturada? Vamos imaginar que estamos falando de um s√≥lido dissolvido em um l√≠quido. Uma solu√ß√£o saturada pode ficar supersaturada quando √© resfriada. Vamos pensar por que isso √© verdade … A solubilidade de solutos s√≥lidos em solventes l√≠quidos aumenta √† medida que a solvente est√° aquecido. Por exemplo, voc√™ … Ler mais

Qual é a antiderivada de # 1 / sinx #?

Qual √© a antiderivada de # 1 / sinx #? Responda: √Č #-ln abs(cscx + cot x)# Explica√ß√£o: #1/sinx = cscx = cscx (cscx+cotx)/(cscx+cotx)# # = (csc^2 x + csc x cot x)/(cscx+cotx)# O numerador √© o oposto (o 'negativo') da derivada do denomoinador. Portanto, a antiderivada √© menos o logaritmo natural do denominador. #-ln … Ler mais

A paratire√≥ide √© uma gl√Ęndula end√≥crina? As gl√Ęndulas sudor√≠paras s√£o end√≥crinas?

A paratire√≥ide √© uma gl√Ęndula end√≥crina? As gl√Ęndulas sudor√≠paras s√£o end√≥crinas? Responda: Paratire√≥ide √© uma gl√Ęndula end√≥crina. As gl√Ęndulas sudor√≠paras s√£o gl√Ęndulas ex√≥crinas. Explica√ß√£o: As gl√Ęndulas end√≥crinas s√£o gl√Ęndulas sem ductos que secretam horm√īnios diretamente na corrente sangu√≠nea. A corrente sangu√≠nea carrega esses sinais qu√≠micos (horm√īnios) para atingir os √≥rg√£os. Esses horm√īnios ajudam a regular … Ler mais

De acordo com a teoria VSEPR, que formato √© poss√≠vel para uma mol√©cula com a f√≥rmula molecular de # AB_3 # (onde o n√ļmero total de grupos de el√©trons n√£o √© declarado)?

De acordo com a teoria VSEPR, que formato √© poss√≠vel para uma mol√©cula com a f√≥rmula molecular de # AB_3 # (onde o n√ļmero total de grupos de el√©trons n√£o √© declarado)? Responda: eu sei de #3# geometrias moleculares: planar trigonal (#”BF”_3#), piramidal trigonal (#”NH”_3#) e em forma de T (#”ClF”_3#). Explica√ß√£o: Por forma, eu … Ler mais