Pergunta #a254b

Eletro-negatividade é usado para expressar a capacidade de um átomo que faz parte de uma molécula de atrair elétrons para si.

Polaridade de ligação é determinado examinando a escala de Pauling eletro-negatividade valores dos dois átomos. A diferença entre esses valores determinará a predominante tipo de ligação entre os respectivos átomos.

Aqui estão os valores de eletronegatividade para o elementos no tabela periódica

http://www.dreamstime.com/stock-images-electronegativity-periodic-table-image37855044

Voc√™ basicamente tem tr√™s tipos de car√°ter de v√≠nculo dominante: liga√ß√Ķes covalentes, liga√ß√Ķes covalentes polares e liga√ß√Ķes ionicas. A diferen√ßa nos valores de eletronegatividade de dois √°tomos ligados entre si determinar√° que tipo de liga√ß√£o eles formam.

Para que dois átomos formem uma ligação covalente, a diferença de eletronegatividade entre os dois átomos deve ser menor que 0.5. Uma ligação covalente, às vezes chamada de ligação covalente não polar, implica compartilhamento igual dos dois ligação elétrons pelos dois átomos.

Por exemplo, a #"C-H"# A ligação é considerada não polar porque a diferença nos valores da eletronegatividade é

#EN_C - EN_H = 2.5 - 2.1 = 0.4#

Outros exemplos de liga√ß√Ķes n√£o polares s√£o mol√©culas diat√īmicas, como #Cl_2#, #H_2#, #O_2#, e assim por diante. A diferen√ßa nos valores de eletronegatividade entre dois √°tomos id√™nticos √© obviamente zero, portanto a liga√ß√£o ser√° covalente n√£o polar.

Para liga√ß√Ķes covalentes polares, a diferen√ßa nos valores da eletronegatividade varia entre 0.5 (como no #"C-Cl"# v√≠nculo) e 1.9 (como no #"H-F"# liga√ß√£o). Tais t√≠tulos implicam uma compartilhamento desigual dos el√©trons de liga√ß√£o entre os dois √°tomos.

Outro exemplo clássico de uma ligação covalente polar é a #"H-O"# ligação em moléculas de água, que tem uma diferença de

#EN_O - EN_H = 3.5 - 2.1 = 1.4#

As liga√ß√Ķes i√īnicas ocorrem quando ocorre a transfer√™ncia completa de el√©trons; os el√©trons de liga√ß√£o n√£o s√£o mais compartilhados entre os dois √°tomos, mais eletronegativos dos dois "retiram" o el√©tron de liga√ß√£o do outro √°tomo.

Para que o abond seja considerado i√īnico, a diferen√ßa na eletronegatividade deve ser maior que 2.0. Um exemplo cl√°ssico para compostos i√≥nicos √© cloreto de s√≥dio ou #"NaCl"#

#EN_(Cl) - EN_(Na) = 3.0 - 0.9 = 2.1#

Outra coisa importante a lembrar √© que, para diferen√ßas de eletronegatividade que variam entre 1.6- 1.7 e 2.0, a diferen√ßa entre uma liga√ß√£o covalente polar e uma liga√ß√£o i√īnica ser√° feita pelo tipo de √°tomos que formam a referida liga√ß√£o.

Como eu disse, #"HF"# √© considerado covalente polar porque possui dois n√£o-metais ligados entre si. No entanto, brometo de s√≥dio, ou #"NaBr"#, tem a mesma diferen√ßa na eletronegatividade, mas √© considerada i√īnica.

#EN_(Br) - EN_(Na) = 2.8 - 0.9 = 1.9#

Isso acontece porque você tem um metal ligado a um não-metal.

Portanto, n√£o se esque√ßa de observar quais √°tomos formam a liga√ß√£o ao lidar com valores de eletronegatividade maiores do que aqueles estabelecidos como limiar para liga√ß√Ķes covalentes polares (1.6 - 1.7).