Pergunta #1ff5c

Responda:

As moléculas de metano exibem apenas forças de dispersão fracas de Londres.

Explicação:

Mol√©culas de metano s√£o formadas quando um √°tomo de carbono se forma liga√ß√Ķes covalentes com quatro √°tomos de hidrog√™nio.

A diferença em eletro-negatividade entre carbono e hidrogênio é pequeno o suficiente que o #"C-H"# vínculo é considerado um ligação covalente não polar.

https://b51ab7d9e5e1e7063dcb70cee5c33cf7f4b7bad8.googledrive.com/host/0Bx6hk6AUBHxDc2d4TDJZTFIyMGs/files/Bio%20101

Isso implica que o ligação elétrons são compartilhados quase igualmente entre carbono e hidrogênio, não sendo formada nenhuma separação significativa de carga na molécula #-># molécula não polar.

Mesmo se o #"C-H"# liga√ß√Ķes eram polares, a mol√©cula de metano teria sido n√£o polar por causa de sua tetra√©drico geometria molecular, que garante que qualquer momento poss√≠vel do dipolo da liga√ß√£o seja cancelado.

http://www.ivyroses.com/Chemistry/Organic/How-to-draw-organic-molecules-in-3D.php

Como a mol√©cula n√£o possui momento dipolar permanente, o √ļnico for√ßas intermoleculares exibe s√£o fracos For√ßas de dispers√£o de Londres, LDF.

As for√ßas de dispers√£o de Londres surgem quando varia√ß√Ķes aleat√≥rias na distribui√ß√£o de nuvens de el√©trons de uma mol√©cula de metano polarizar a nuvem de el√©trons de uma mol√©cula vizinha.

Cargas parciais temporárias que aparecem em uma molécula induzem cargas parciais semelhantes em outra molécula.

http://wps.prenhall.com/wps/media/objects/3311/3391416/blb1102.html

Novas cargas parciais aleatórias estão sendo constantemente formadas, a magnitude e a orientação variando significativamente de molécula para molécula.

Como elas dependem de varia√ß√Ķes aleat√≥rias na distribui√ß√£o das nuvens de el√©trons, essas for√ßas intermoleculares s√£o de curta dura√ß√£o e, como voc√™ imagina, muito fracas.